Rubrica – Real Monsters – (4) – Voltorb

Esta semana estou enfadado, 🙁 , disseram que não faço Pokémons conhecidos…. Ok, prontos ai está o Voltorb! Também vou falar de movimentos, por isso, “Let’s get ready to rumble!”


Para começar…. ele não explode, :/ . Mas podia, 😀 .

Foi o primeiro Voltorb que fiz e houve algumas falhas e alguns estudos deveriam ser feitos. Por exemplo, o Voltorb original, possui uma estrutura interior sólida, maciça, pressuponho que de aço corten para resistir a inúmeras explosões, ou ligas com carbonetos. Já o seu exterior, de plástico para poder ser facilmente substituível e ideal para melhor velocidades em solos.

Este meu “amiguinho” aqui é de aço inox, resiste a explosões, mas devido a uma abertura e devido ao peso da superfície, a balança de movimento não consegue movimentá-lo. Em vez disso, balança….
A imagem mostra o que deveria acontecer….

Rollout

E na realidade acontece isto….

Bounce

 

Voltorb com 32cm, 1,8Kg (peso atual).

 

Não ponho nenhum video desta vez, a demonstrar ele a balancear, pois o estava a utilizar um motor remoto de 40€ que utilizei para fazer outro pokémon, que será apresentado dentro de ~2 meses.

 


E como falei de movimentos, vamos falar neles.
Pode parecer muito básico, mas, vão ver que também há tecnologia.

Os tipos de movimentos que procuro instalar/já instalados são:
Estáticos: O nome diz tudo, sem movimento, atuam estaticamente;
Frontal: Movimentos Lineares, para a frente e para traz;
Vertical: Um nome, Diglett, verticalmente sobem e descem;
Lateral: Movimentação lateralmente, a olhar o oponente;
Frontal + Curvas: Carros telecomandados, nada ainda de invulgar;
Nadar: Barcos telecomandados, ou movimentação lateral, frontal e vertical, submerso em água.
Livre: Cosplay, eu, Humano, deito, ando, corro, subo, desço, nado, ….;
Voar: Isso…. eu já não faço, :/ . Basicamente, Drones, pássaros;

Flutuar: Ok a ciência vai começar aqui. Estou neste momento a desenvolver um Pokémon que desloca-se por flutuação. Podia ser um balão, podia, mas o flutuar é poder deslocar-se a um nível constante em relação à Terra. Esta tecnologia é possível, mas é algo cara.

No essencial, se encheres um balão com CO2 (o expirar), o balão sobe e logo a seguir desce. Com Hélio, sobe, sobe, …. e sobe. A Ideia é misturar os dois + seis controladores de movimento que controlam a gravidade com  a injeção de CO2 e injeção de Hélio.

Testado com 280mg.

Este flutuar é parecido com este “Quadcopter”, porém, o meu mecanismo não possui irregularidades ou hélices, o que é ideal para “decorar”.

muwa_11383610603818

E este aqui faz um bocado de tudo, é uma ideal brutal:


“Let’s get ready to rumble!”, Michael Buffer

Rumble?….

1043

Uma boa forma de simular os duelos, e se calhar mais atrativa do que em RPG, será través do Pokémon Rumble. Claro está que requer alguns ajustes, e por acaso tenho alguns conhecimentos de hacking, 🙂 . Já realizei modificações em jogos através dos códigos binários, e confesso que os jogos da Nintendo são mais fáceis de descobrir os pontos específicos para modificar um jogo.

As imagens revelam muito o porquê de querer usar este jogo como simulador. Porém, têm a barreira de quatro jogadores em simultâneo em apenas uma das equipas, o que faz no total 8 jogadores em duelo. O ideal seria 6 contra 6 e cada um possuía o seu Pokémon.

A maior vantagem em quanto simulador é podermos usar todos os nossos Pokémons de uma vez só numa autentica “briga de galos” virtual.

Sendo o máximo 50 vs 50.

Com o Rumble + hacking, é possivel o Trubbish fazer o Rollout, o Litwick flare sendo estático, o Voltorb o Bounce. Os Rotoms, é que não teriam a sua aparência habitual, :/ .

É apenas mais uma hipótese de competição.
Até a próxima!


Deixar uma resposta

PkPortuga © 2009-2018 é um site criado por fãs para fãs
Pokémon © 1996-2018 pertence à Nintendo, Creatures Inc. e à GAME FREAK Inc.
Frontier Theme
%d bloggers like this: