Entrevista da CoroCoro Online com a Rica Matsumoto

Olá pessoal

Na noite de 15 de setembro de 2019 a CoroCoro Online publicou um conjunto de entrevistas logo após a exibição do episódio SM139 “Nasceu! O Primeiro Vencedor da Liga Alola!!”. Uma entrevista é com o próprio Satoshi (Ash), a atriz vocal Rica Matsumoto. A entrevista está repleta de spoilers, mostra os seus sentimentos para com o Ash, a sua memória mais querida dos últimos 22 anos e ainda como ela enxerga o Ash daqui em diante.


É uma celebração da série de TV ‘Pokémon Sun & Moon’! Estamos a comemorar o facto de Ash se ter tornado o vencedor da Liga Pokémon de Alola! E temos uma entrevista especial com a atriz vocal de Ash, a Rica Matsumoto!!

No episódio de hoje, o Ash alcançou o seu tão almejado sonho de vencer uma Liga Pokémon e recebeu a glória de se tornar o primeiro Campeão da Liga Pokémon de Alola!

Desde a estreia do anime em 1997 já se passaram 22 anos que a atriz vocal está a emprestar a sua voz ao Ash. É possível afirmar que Rica Matsumoto também almejava este sonho juntamente com o Ash todo este tempo. Mas para nós (CoroCoro Online), Rica Matsumoto e Ash são basicamente um só, e ao entrevistá-la é como entrevistar o próprio Ash logo após a vitória!

Então, vamos perguntar-lhe como ele se sente agora que se tornou o Campeão.


** Parabéns pela sua vitória! Poderia ser honesto e dizer-nos como se sente agora?

Matsumoto: Muito Obrigado. Mas acho que não poderia ter feito isto sozinha. Os meus amigos estavam lá, os meus outros colegas de turma estavam lá a torcer, muitas pessoas estavam a ajudar-me, e todos os Pokémon estavam a combater com tudo o que tinham e é por isso que acho que acabei por vencer. Então agradeço a todos por me ajudarem a vencer! É o que estou a sentir neste momento.

Todos realmente se esforçaram ao gravar as cenas de combate. Todos estavam a ir intensamente como ‘Ohhhhhh!’ e a sala encheu-se de nergia. Definitivamente acho que parte dessa energia foi-me passada, com certeza.

** Então estavam todos juntos quando estava a gravar os combates?

Matsumoto: Sim, estávamos todos juntos. E por isso, todos queríamos a intensidade extra que sentíamos brilhar em nossas apresentações e, por isso, todos acabamos a gritar em plenos pulmões. Realmente acho que os eventos que se desenrolaram no ecrã falaram connosco e acenderam um fogo dentro de todos nós. Porque sabíamos que era isso, era esse o verdadeiro negócio. E mais de uma vez nos tornamos tão barulhentos que nos pediram ‘por favor, afastem-se do microfone’ (risos). E então, é claro, nos dias seguintes às gravações ficávamos sem voz.

** Então, quando é que descobriu realmente que o Ash realmente venceria esta (liga)?

Matsumoto: Quando começamos a trabalhar na Liga Pokémon de Alola, o diretor veio até mim e disse: ‘Desta vez, definitivamente queremos deixar o Ash vencer’ e eu fiquei tipo ‘Quê? ELE VENCERÁ!?’ E foi assim que eu descobri. Por um tempo fiquei incrédula, e disse ‘Está a brincar comigo agora?’ e ‘Quer dizer que podemos realmente fazer isso?’ (risos)

** Para si, pessoalmente, qual o melhor combate da Liga Pokémon considera melhor? Pode ser até de séries passadas.

Matsumoto: Hmm… Há muito por onde escolher, mas se falarmos desta Liga (Alola), então seria o combate de hoje contra Gladion. Ah, mas também temos o combate contra Hau, onde o Rowlet fez o seu melhor… bem, não posso escolher apenas um. Quanto a série passada, teria de escolher o combate de Paul na Liga Sinnoh! Infernape VS Electivire!!

** Nos 22 anos que interpreta o Ash, conte-nos a memória mais duradoura que tem, seja do seu tempo dentro ou fora da cabine de gravação.

Matsumoto: Havia um programa que atendia crianças doentes nas enfermarias pediátricas dos hospitais e eu deveria conhecer um menino que realmente amava Pokémon. Mas, à medida que se aproximava o dia, a sua saúde piorou e disseram-nos que já não seria possível visitá-lo, afinal ele havia sido transferido para a UCI. Mas queria fazer algo por ele de qualquer forma, então gravei uma mensagem de voz para ele.

Gravei uma mensagem com cerca de um minuto e até consegui convencer o Pikachu a fazê-lo. Então mandamos a gravação para o menino. Aparentemente, ele perdeu a consciência por essa altura, mas a sua mãe teve a gentileza de colocar a mensagem que para de alguma forma lhe chegasse, e então ouvimos dizer que depois de algum tempo ele acordou!

Naquela época, senti-me muito agradecida por ter um emprego em que consegui fazer coisas assim e, ao mesmo tempo, senti que tinha essa incrível responsabilidade. E, de várias formas, mudei a abordagem adotada com o Ash e lembrei-me de começar a ter mais consciência do trabalho que está a fazer ali.

** Wow, que história maravilhosa! Quando tudo isso aconteceu?

Matsumoto: Foi, talvez, por volta dos 10 anos após o início da série…? Pensei como o meu trabalho é maravilhoso e como coisas como dobragem e animação afetam diretamente as crianças que assistem e, portante, essa experiência mostrou-me que não estou apenas ‘a fazer um trabalho’ e que tenho de ter em consideração os fãs que assistem em casa.

Realmente acho que estou onde estou hoje por causa de todos os fãs que já foram crianças. Sei que isso não os recompensa realmente por tudo o que fizeram por mim, mas para as crianças por aí digo que se encontrar algo em que seja bom, o desejo de continuar a fazê-lo será enorme.

Acho que isso é tão importante, sabe? Se há pessoas que encontram algo que podem fazer, acho que não há problema em seguir em frente e fazer alguma coisa. Se estiver cercado por pessoas que dizem que não pode fazer isto ou aquilo, não será capaz de fazê-lo, mas se alguém disser ‘venha!’, irás querer dizer como retorno ‘claro, é o meu caminho!’.

** Tem a certeza que quer dizer tudo isso? Uma vez que o artigo seja publicado online, irá receber várias ofertas…

Matsumoto: Hahahahahahahaha. Isso seria interessante. Se receber alguma coisa assim, poderá repassar-me!!

** Então, para finalizar, envie uma mensagem aos leitores da CoroCoro que estão por aí.

Matsumoto: A partir deste momento, acho que coisas como a sinceridade de Ash e as partes dele que não mudam continuarão assim para sempre. Mas, mesmo assim, ele conhecerá muitas pessoas e experimentará muitas coisas, irá amadurecer um pouco e talvez possa passar para o próximo nível. Então, por favor, continue a mostrar-lhe o seu apoio.

Pokémon é o que é por causa do apoio de todos, por isso, se não torcer por ele, ele não conseguirá vencer! (risos).

** Obrigado pelo seu tempo hoje!

Matsumoto: Muito obrigado!

Ash sempre viaja de um lugar para o outro, mas em Pokémon Sun & Moon sinto que esteve quase sempre no mesmo local (ilhas de Alola) o tempo todo, então é um pouco triste. Bem, não quero deixar Alola!!


Traduzi esta entrevista do inglês e espero que tenham gostado. Peço desculpa por algum erro que possa ter-me passado ao tentar traduzir. Achei interessante o facto de ela mencionar o possível amadurecimento do personagem, dando a entender que ele não deixar o anime de todo.

Só nos resta esperar pelo dia 29 de setembro onde saberemos mais sobre a próxima fase do anime. Seria interessante um anime em que ele revisita as regiões passadas, reencontra amigos e vai crescendo como treinador… e depois então, Galar… mas isso é sonhar um bocadinho… que esperam do anime?

Fiquem bem, Portuga

1 Comment

Add a Comment
  1. Tradução fixe de uma reportagem fixe! Parabéns, continua sempre assim! ;D

Deixar uma resposta