Capítulo 29

<< Capítulo 28: Juniores na Ribalta!

Capítulo 30: Arranjem um Pára-Raios! >>

Ao continuarem as suas aventuras, Steven e Mariah
encontram-se numa floresta, na qual encontram
uma estátua de um Pokémon

— Que estátua será esta?
— É a estátua de um Munna. No entanto, não entendo o porquê de estar aqui, no meio da floresta. Não encontro nenhuma explicação no guia.

Do nada, um Pokémon a flutuar no ar passa por eles

— Não acredito! Olha, Steven, é um Munna!

— É estranho encontrar-mos aqui um Munna.

À medida que passava, Munna usava a hipnose,
sem que eles notassem. Como consequência,
pô-los a dormir.

Momentos depois, um rapaz aparece e repara
Steven e Mariah a dormir no chão da floresta.

— O Munna deve ter passado por aqui… Malta, acordem!

Aos poucos, ambos abrem os olhos

— Que aconteceu? — pergunta Steven com uma voz sonolenta.
— Olá, chamo-me Bruno e estou desesperado, porque estou à procura do meu Munna.

A imagem de Munna
passa pelas suas memórias

— Eu sou o Steven.
— E eu Mariah.
— Agora que falas no Munna… Nós há pouco vimos um.
— É muito provável. Como estavam a dormir, ele deve ter usado o seu ataque hipnótico.
— Porque faria ele isso? — inquire Mariah.
— Talvez por se sentir ameaçado. Sabem, estou mesmo em pulgas para o capturar. É muito importante para mim.
— Mas porquê? — fica Steven com curiosidade.
— Os Munna são Pokémon especiais. Eles têm o poder de eliminar os nossos pesadelos?
— Eliminar pesadelos? — confunde-se Steven. — Não tinha conhecimento de tal Pokémon que fizesse tal coisa.
— É verdade. Bom, nesse caso, significa comer os sonhos.
— Lembro-me de ver isso no meu Pokédex. Dizia que ele era o “Pokémon comedor de sonhos”.
— Sim. Os Munna alimentam-se dos sonhos de humanos e Pokémon. Depois de eles se alimentarem, as “vítimas” esquecem-se completamente do sonho que tiveram. Podem não acreditar, mas estou à procura de um Munna devido à minha aldeia estar amaldiçoada.

Os olhos de Steven quase que saem
das suas órbitas

— V-vens de uma aldeia amaldiçoada?
— Infelizmente sim. Já há mais de 10 anos. A minha aldeia foi atacada por um Pokémon Lendário chamado Darkrai.
— O Darkrai? — espanta-se Mariah.
— Conhece-lo, Mariah?
— Sim, Steven. O Darkrai é conhecido por espalhar pesadelos pela pessoas e Pokémon. Ele é um Pokémon sinistro.

— É verdade. Desde que ele passou pela nossa aldeia, todos nós começamos a ter pesadelos todas as noites. É horrível.
— Eu ouvi dizer que para o Darkrai criar pesadelos, seria necessário ele frequentar o local afectado. Sendo assim, se o conseguissem apanhar, talvez ele anulasse os vossos pesadelos. Mesmo que fosse possível apanha-lo, ele seria demasiado forte para nós. É um Pokémon Lendário. Não obstante, não se trata desse caso. Dizem por aí que houve outrora um caçador que o tentou capturar e ferio-o com gravidade. Para se vingar, amaldiçoou a aldeia. Ele não foi avistado nestes últimos 10 anos. Eu construí, juntamente com amais alguns membros da aldeia, estas estátuas de Munna por vários locais, numa grande extensão de quilómetros. Estava na esperança de ele permanecer por um bom tempo perto das estátuas. Eu estou encarregue desta da floresta. Os Munna têm a capacidade de curar pessoas e Pokémon dos seus pesadelos. Se o conseguisse capturar, a minha aldeia ficaria a salvo.
— Eu compreendo. Eu vou ajudar-te a capturar o Munna! Que dizes Mariah?
— Por mim, não há problema algum.
— Agradeço-vos imenso.
— Agora, só temos de saber por onde procurar.
— Tenho uma ideia. Podemos dividir-nos e, daqui a uma hora, encontramo-nos aqui.

Os três dividem-se, cada um por um lugar

— Talvez o Pidgeotto possa ajudar. Anda cá, companheiro!

— Pidgeotto, estou à procura de um Pokémon pequeno e cor-de-rosa chamado Munna. Preciso que me ajudes a procurá-lo!

Pidgeotto segue em busca de Munna

— Butterfree, Beedrill, Beautifly!

— Tentem encontrar um Munna, por favor!

Os minutos passam e nada

— Alguma coisa?

Steven e Mariah não têm resposta positiva a dar

— Que azar… Estou a ver que não vai ser desta que…

— Bruno, olha ali! — avisa Steven empolgado. — É um Munna, não é?
— Tens razão, mas não faças barulho — murmura Bruno. — Ele está entretido a olhar para a estátua dali do fundo.
— Eu sei, mas que podemos fazer?
— Os meus Pokémon podem ajudar. Oddish, Snivy, cá para fora!

— Um Snivy e um Oddish.

— Enquanto o Snivy o prende, o Oddish pode colocá-lo a dormir com o seu Pó de Sono.
— E isso dará resultado? — pergunta Steven.
— Tem de dar. Não sou adepto de atacar Pokémon à força bruta. Não gosto de os magoar. Bom, pessoal, já sabem, certo?

Snivy e Oddish dão sinal de concordância.

— Então ‘bora lá.

Todos eles tentam aproximar-se
o mais possível de Munna sem serem vistos

— É agora, Snivy. Usa Chicote de Hera.

Munna consegue escapar

— Oh, não! Rápido, Oddish, Pó de Sono!

Munna também escapa e contra-ataca com Hipnose

— Não olhem para os seus olhos!

Mas Bruno e os seus Pokémon são
apanhados e adormecem

Rapidamente Munna vai embora

— Temos de os acordar, Mariah.

Ao acordar, Bruno sente-se triste
por o que aconteceu

— Bolas! Eu a dizer para não olharem, lá fui eu olhar!
— Hás-de conseguir.
— Espero que tenhas razão, Mariah.
— Sabes, se o queres capturar, talvez seja melhor usares apenas um Pokémon. Muitas vezes torna-se mais fácil capturar um Pokémon, usando apenas um Pokémon para combater com ele.
— És capaz de ter razão. Se calhar, capturá-lo sem o magoar, pode ser ainda mais difícil. Mas acho que já tenho uma ideia.

Depois de uma longa e demorada procura,
Munna é novamente achado

— Munna! — fala Bruno em alta voz. — Dás a oportunidade de te capturar? Preciso muito da tua ajuda! Todos os habitantes da minha aldeia sofrem de terríveis pesadelos todos os dias! E necessito que me ajudes a eliminar por completo todos os pesadelos!

Munna aproxima-se e dá a impressão
de que quer combater

— Obrigado… Munna… Snivy, escolho-te a ti!

— Chicote de Hera!

Munna teletransporta-se e
contra-ataca com Raio Psíquico

— Rápido, esquiva-te e usa Tempestade de Folhas!

Munna é atingido

— Boa, Bruno! — incentivava Steven.

— Lâmina de Folha!

Munna teletransporta-se e, quando
Snivy falha o golpe, Munna aparece
repentinamente à sua frente e
ataca com Hipnose

— Não olhes directamente nos olhos!

Ao ver que Snivy não cai, Munna
ataca com Raio Psíquico, atingindo-o

— Snivy, recompõe-te!

Munna usa novamente o Raio Psíquico

— Vamos, Tempestade de Folhas!

Os dois ataques colidem

— Força, Snivy!

O ataque de Snivy é mais forte a atinge Munna

— Vai, Pokébola!

Bruno captura Munna

— Boa, consegui!

Steven e Mariah parabenizam-no

— Obrigado, amigos. Agora vou poder livrar a minha aldeia da maldição do Darkrai.

Bruno despede-se dos dois e todos
seguem o seu caminho

— O Darkrai deve ser um Pokémon terrível.
— É verdade. É preciso ter muita cautela se alguma vez o encontrarmos.

Depois de ambos terem ajudado Bruno
na sua procura por Munna, Steven e Mariah
dirigem-se para mais aventuras.

Próximo Capítulo: Arranjem um Pára-Raios!

<< Capítulo 28: Juniores na Ribalta!

Capítulo 30: Arranjem um Pára-Raios! >>

Deixar uma resposta

PkPortuga © 2009-2018 é um site criado por fãs para fãs
Pokémon © 1996-2018 pertence à Nintendo, Creatures Inc. e à GAME FREAK Inc.
Frontier Theme
%d bloggers like this: